Latest Entries »

Henry Jenkins

Oláa,

Aqui quem escreve agora é a Maira, e tenho um assunto interessantíssimo para ser tratado hoje. =)

É sobre o livro que a minha queridíssima amiga Miwa já comentou aqui recentemente: Cultura da Convergência, de Henry Jenkins.

Como vocês sabem, ou não, somos alunos de Audiovisual e estamos no semestre de Multimídia. Ao ler esse livro da bibliografia básica do semestre, gostaria de compartilhar com vocês algumas coisinhas. Vou tentar não me alongar e nem ser redundante para que vocês me acompanhem. ;)

21434362_4

Houve uma grande mudança na comunicação mundial nos últimos anos: a informação pode agora circular por diferentes canais e sistemas
midiáticos. Houve uma digitalização da cultura . Essa digitalização tende a mudar os regimes de criação, recepção e distribuição da cultura e seus produtos.

Houve também uma convergência de linguagens e uma emergência de novas linguagens nas quais os conteúdos de novas e velhas mídias se misturam, reconfigurando a relação entre as tecnologias, a indústria, e o público. Isso constitui o que Henry Jenkins chama de a era da convergência midiática. Nela há um cruzamento entre mídias alternativas e de massa.

Essa convergência trouxe a participação ativa dos consumidores,que cada vez mais distante da condição de receptor passivo, elegem a inteligência coletiva como seu modo participativo. A partir daí então, passamos a interagir com um sistema complexo de regras que vem sendo criado para ser dominado de forma coletiva. Os ARGs que circularam por aí são o maior exemplo disso. O autor também cita Matrix, Survivor, American Idol, The Beast Microsoft, 2001 (ARG do filme Inteligência Artificial) como exemplo de como essa inteligência coletiva tem sido requisitada e utilizada em diversas e diferentes mídias.

No último capítulo do livro o autor se dedica à analisar a cultura pública. Ele usa o conceito de convergência para ilustrar a disputa presidencial dos Estados Unidos em 2004, mostrando caminhos para tornar a esfera política mais participativa e ressaltando o papel decisivo de táticas como o marketing viral e a força de movimentos botton-up, como as smarts mobs. O autor apresenta montagens de imagens alternativas feitas sobre fotos de campanha  para atacar certos candidatos à presidência dos EUA em 2004.

Falando disso me lembro de um viral ‘recente’ que eu achei hilário haha: .

Não considero ter sido para atacar a campanha de ninguém, mas vale a pena conferir ^^ hahah

Finalizando aqui o pensamento de Jenkins, o mesmo acredita que o próximo passo a ser dado pelas pessoas engajadas nessas atividades é aplicar as habilidades desenvolvidas a partir dessa experiencia com o entretenimento comercial, na solução de questões com maior amplitude social e política.

Bom..

Leiam e tirem suas próprias conclusões, eu recomendo. ;)

Livros Referências!

Hoje passei na biblioteca para pegar alguns livros de referência para o trabalho de Edição de Multimídia, e achei vários bem interessantes!
Gostaria de indicar para vocês ;)

Em ordem de apresentação (seguindo a foto):
Novas Mídias Na Arte Contemporânea 
Michael Rush
Arte e Mídia – perspectivas da estética digital
Priscila Arantes
Arte e Mídia 
Arlindo Machado
Cultura da Convergência
Henry Jenkins
O Sujeito na Tela
Arlindo Machado

Finalizo este post, com uma frase do livro que é super referência das nossas aulas de Multimídia & Hipermídia: “(…) Existe algum lugar na web que o mundo inteiro esteja vendo? Como temos sugerido ao longo deste livro, a mídia contemporânea está sendo moldada por várias tendências conflitantes e contraditórias: ao mesmo tempo que o ciberespaço substitui algumas informações tradicionais e gatekepers culturais, há também uma concentração de poder inéditos dos velhos meios de comunicação. A ampliação de um ambiente discursivo coexiste com o estreitamento da variedade nas informações transmitidas pelos canais mais disponíveis.
Confuso? Interessante? São trechos do capítulo Photoshop pela Democracia – A Revolução será Televisionada, pra saber mais, entender melhor, leia: CULTURA DA CONVERGÊNCIA (alunos do Senac, existe uma série de exemplares na biblioteca)!!

Att, Bruna Miwa!

Image

Frase do dia!

“Não interessa se você ganha ou perde. E sim como se joga o jogo.” (Bill Watterson)

Affordances.. Uncharted 3

Oooi.. esse é meu primeiro post.. espero que vocês gostem e entendam um pouco de tudo o que estou tentando passar para vocês…
bom primeiramente..

Oi aqui é a Maria Amália, bom tenho que revelar desde já que AMO JOGAR VIDEO GAME.. Vou dizer que isso já vem de TEEMPOS.. :)
Nunca tive aquele primeiro nintendo sabe o 64?

Mas tinha um PICO para quem não sabe vou colocar uma foto.. sim me DIVERTI POR ANOOOS E  ANOOOS com ele.. esse era um vídeo game de 16bits para crianças de 3 a 8 anos… Beem divertidinho dava para trocar as “fitas” que na verdade eram livros e as “fases aconteciam conforme iam passando as folhas” E a um ano atras liguei ele e me diverti também mas ele é beem bobinho comparado aos de hoje em dia (OBVIOU)…  mas eu tinha VÁÁÁRIOS jogos.. hahahhaha.
Aqui tem um vídeo do Youtube “explicando” como joga e como é a interação da pessoa com o jogo.. Sega Pico.
Este da foto não é o meu mas acabo de ver que ele pode ser vendido por apenas 10 dólares.. (quase chorei)

Enfim.. hoje em dia com já estou “grandinha” e na faculdadeee.. (hahaha)

Tenho um WII e um Play 3 (mas ja tive o play 1 também) SOU ALUCINADA POR ELES, e quero ver alguém falar mal deles.. Essa semana só joguei na quarta mas joguei Gran Turismo com o meu pai.. NOOOSSA ADOORO também.. Ultimamente tenho jogado MUUUUUUITO O Uncharted 3 nooossa estou VICIADA só não jogo mais porque a faculdade não me permite…

Bom acho que vou tentar falar um pouco sobre ele…
Este é o UNCHARTER 3 um dos jogos mais esperados, principalmente por que esse jogo veio em resolução 3D e posso dizer que é muuuuuito mais divertido e emocionante jogar em 3D..

A resolução do jogo e os movimento do Drake (Nathan Drake) são sensacionais…
um pequeno resuumo sobre o jogo e o que o personagem que foi escolhido entre os 10 personagem mais bonitos do PlayStation.

“Uncharted 3: Drake’s Deception é um jogo de ação-aventura jogado a partir de uma perspectiva de terceira pessoa, com o jogador no controle de Nathan Drake. Drake tem um grande número de conjuntos de animação diferentes, capacitando-o a reagir de acordo com o seu entorno. Ele também é fisicamente capaz de saltar, acelerar, nadar, escalar bordas estreitas e executar outras ações acrobáticas. Drake pode agora enfrentar adversários em mais maneiras do que antes: o combate mão-a-mão com vários adversários, ataques corpo a corpo contextuais, e as opções furtivas… movimentos expandidos e diversificados traversais com tiroteios de profundidade. Drake pode ser equipado com até duas armas de fogo – em uma única mão ou ambas – e quatro granadas. O jogador pode pegar armas, substituindo automaticamente a arma já existente que ele estava usando, e agarrar munição adicional de inimigos abatidos.. abrigar atrás de cantos ou muros baixos usando a objectiva ou o ponto de mira para matar os seus inimigos. O jogador também pode disparar enquanto o personagem se move. Se Drake é detectado por seus inimigos, o jogador pode tentar usar stealth para imobilizá-los, como passar acima ou atrás deles e matá-los com um murro, ou puxando um inimigo desprevenido de uma borda do qual Drake está pendurado. A mecânica do stealth foi simplificada e melhorada. Algumas áreas do jogo vão pedir ao jogador para resolver quebra-cabeças com o uso do diário de Drake, que fornece pistas para soluções dos quebra-cabeças. Quando ativado, um sistema de dicas fornece pistas sobre a jogabilidade, ou qual a direção do próximo objetivo”.

esse é o Trailer do Jogo.. 
Esse é o trailer que passou no PlayStation no Brasil Game Show 

Esse não e jogo muito fácil de jogar. Para você se dar bem jogo você tem que saber os comandos básicos como:

o Δ não tem uma função exata mas quando jogam uma granada perto, você pode apertar o triangulo e joga-la de volta, pegar uma arma do chão, recarregar a sua arma.

o Quadrado da soco nos inimigos.

a O da para se esconder atras das coisas.

o χ você pula e sobe nas coisas.

a “bolinha da dinheita” você comanda para aonde o seu jogador vai andar.

a “bolinha da esquerda” comanda a Câmera que você vê.

o R1 Atira

o R2 para

o L1 é a mira da arma.

o L2 Joga a granada (com mira)

↑ aproxima a camera.

← ou → muda de arma.

As melhores partes do jogo são os momentos em que você chega próximo dos “inimigos” e eles não viram você ainda então você fica no canto esperando (affords), ai você tem algumas opções: se estiver com uma arma com um silenciador você pode dar um tipo na cabeça dele (isso se não tiver outro por perto) se se tiver outra pessoa por perto que você de um tiro RÁPIDO na cabeça dos dois antes que um deles de um grito, você pode também “pular” em cima da pessoa e bater nele até ele morrer (mas não demora muito tempo), ou pode também tentar passar por ele sem que ele te veja maas dependendo do que você tem que fazer você terá que matar ele de qual quer forma então não tem como escapar.

AH DETALHE e tem amigos e assim eles só falam do tipo: “Drake cuidado uma granada perto de você” ou quando você morre que eles sempre falam “NÃÃO DRAKEEE..” HAHAHA é bem engraçado, mas percebi que quando você começa a sentir muita dificuldade em matar alguma pessoa o seu “amigo” ajuda atirando mas isso é beem difícil de acontecer, tem também alguns trechos que tem um inimigo que esta HIPER equipado com roupas e logicamente com uma ULTRA ARMA que em dois tiros ele te mata, e também não da para bater nele.. e unica forma de mata-los é pegar uma arma bem forte igual a dele ooou ter uma metralhadora e ficar atirando na cabeça (sem parar) até cair o capacete dele ai você consegue atirar na cabeça dele.. mas isso você vai aprendendo com o tempo.. :)
Esse é um trecho do jogo que eu encontrei.
no 0:44 é possível ver o inimigo suuper difícil de matar, mas com a arma que ele esta foi mais rapidinho. mas repare que o tiro foi na cabeça. 

Uma das coisas que e gosto muito também é como você consegue e pode controlar a sua câmera  então você pode olhar para os lados, cima, baixo sem que você tenha que mudar a direção do personagem. Mas uma coisa me me irrita é o fato de você algumas vezes dar os comando para que ele pule ou ele suba em alguma coisa e as vezes ele quer ficar pendurado… Nossa isso me irrita muito.. ai você faz ele descer e dependendo no ponto ele fica pulando no mesmo lugar.. Mas o cenário é animal com relâmpagos, chuvas…. O que eu achei ele bem diferente é que sempre vem mais de um “inimigo” atacar ao mesmo tempo, coisa que não acontecia nos anteriores e alguns outros jogos.. tipo o próprio jogo comanda vários personagens para te atacar independente de você estar ou não brigando com outro…

boom acho que falei um pouco sobre o Affordances que é a interação que o jogo (personagem/ambiente) me proporcionam para que eu possa fazer todos os movimentos que o jogo permite.

é isso ai.. espero que tenham gostado.. :)
Beeeijos

Oi gente, tudo bem? Hoje é dia de fazer o meu primeiro post aqui no MsEGames!

Eu sou o Eduardo! E mesmo não sendo o tipico fã número um de games, como a maioria dos meninos da minha idade são… eu ainda sim tenho muito interesse por eles, ainda mais pelos web games. E é sobre alguns deles que eu vou falar para vocês.

Hoje em dia, é muito fácil as pessoas acreditarem que alguns jogos não tem qualquer tipo de proposta ou mensagem em seu roteiro original, e isso pode até ser verdade para alguns poucos casos, mas posso garantir que na maioria das vezes, cada game nasce com alguma proposta que vai muito além do puro intuito de proporcionar o entretenimento ao jogador.

E depois de alguma procura, eu escolhi um web game super interessante para mostrar pra vocês.
O nome é – ‘THE ENDhttp://www.playtheend.com/

O jogo trata de um tema que pode ser considerado tabu em muitos lugares, mas lidamos diariamente com ele, a morte.

Fazendo menção a uma série de questionamentos filosóficos e citações de falas de personalidades como Einstein, Churchill, Gandhi e outros, o jogo proporciona esses desafios que acabam fazendo as pessoas refletirem sobre o tema, e a partir das respostas dadas, temos acesso a várias atividades novas, que são apresentadas no decorrer de cada fase e também temos a oportunidade de conhecer um pouco sobre pessoas que pensavam como o jogador, e trazendo a tona assim, um debate sobre o assunto.

O jogo é resultado de uma parceria da Preloaded com a Channe 4, e parte de uma escolha de trabalhar com uma estética muito bonita, que remete a alguns cartoons, muito conhecidos pelo publico, mas que mantém a seriedade dentro dos questionamentos que propõem ao jogador no decorrer de cada fase. Mas mesmo com todo o seu lado filosófico, o entretenimento também é garantido, considerando que o game é muito bem desenvolvido e te dá várias possibilidades de jogos dentro da mesma plataforma (me refiro a um jogo de “tabuleiro” que acontece no final de cada fase contra cada Guardião – Mente, Corpo e Espirito – para que você colete os ‘Death Objects’) e muitas curiosidades e características que são definidas do jogador a partir das respostas dadas aos questionamentos apresentados.

No geral, o jogo não só é viciante como também muito bem desenvolvido.
E além de tudo, você pode linkar o jogo ao seu facebook e ver o resultado dos seus amigos também.

Para os interessados, este é um trailer do game:

Para quem quiser jogar este jogo é só clicar no link que eu dei ali em cima, e bom divertimento!

Até a próxima,
Eduardo Bueno.

É novo, é MS E GAMES!

Image

Chegamos!
Quatro estudantes de Bacharelado em Audiovisual do Centro Universitário Senac, criaram esse blog pra te deixar informado sobre conteúdos diversificados focados em G-A-M-E-S, e as várias ramificações que hoje encontramos no mundo da “internet VIRAL”!
Para aqueles que não sabem esse blog foi criado na aula de MULTIMIDIA & HIPERMIDIA, os posts serão elaborados regularmente, por Maria Amália, Bruna Miwa, Maira Peres e Eduardo Bueno – quer saber como somos? É só dar um look nas fotos aqui em cima do nosso blog, estamos todos na sequência dos nomes apresentados ;)
Por que MS E Games? Simples, agora que já apresentei os “administradores” do blog, MS seria pelo nome das garotas maravilhosas: Mali, Miwa, Maira. O E é pelo Eduardo nosso único garoto delicia!
Bom, agora vamos para o que interessa né?
Para um primeiro post eu gostaria de falar sobre Z-TYPE! Quem aiii conhece?
Z-Type é um jogo de nave que funciona de um jeito bastante curioso: as naves são destruídas conforme você digita as palavras que aparecem embaixo. Quando você começa a digitar uma palavra, é obrigado a terminá-la antes de começar a destruir uma outra nave. Para o desafio ficar maior, naves maiores são enviadas para soltar mais naves menores, sendo que não irá parar de soltar até que você a destrua. Outras naves soltam explosões de letras, que devem ser destruídas antes que encostem em você.

Fonte: http://www.superdownloads.com.br/download/161/z-type/#ixzz2A4N9B9yX

A primeira vez que eu joguei foi um tanto quanto viciante. Para passar de fase não é difícil, você não precisa ser um “expert” na arte de digitar rápido, as primeiras fases são super tranquilas, de fato quando você chega na 12, 13 e assim por diante o jogo fica bem mais emocionante (como qualquer outro jogo que você passa de fase, risos), te deixa meio desesperado, você se torna mil em um com atenção dobrada, porque é olhar as palavras e digitar letrinha por letrinha, ficar ligado nas naves maiores, nas que se aproximam cada vez mais, e ai sim para sobreviver é só com a RAPIDEZ. Eu cheguei até a fase 18 (se eu não me engano), vale a pena tentar, sério!

http://www.phoboslab.org/ztype/

De acordo com as minhas anotações retiradas do nosso conteúdo em sala de aula (pela Professora Renata Gomes, http://desdobramentos.wordpress.com/bio/), para dar introdução (ao primeiro post, primeiro game comentado):
• “O Jogador precisa fazer algum esforço para influenciar o resultado e se sente emocionalmente influenciado por ele: se o jogo for muito fácil ou muito difícil, pode perder o apelo.”
• “O jogo é um ser-jogado.”
• “O jogo não é (apenas) suas regras.”
• “Ele é a implementação que as regras permitem no ao de jogar”

Com carinho, para todos vocês
Bruna Miwa.